sábado, 15 de julho de 2017

[SECRET HOARD] Guia de viagens Donkey Kong: Monkey Mines

Sejam todos bem-vindos à segunda parada do nosso guia de viagens pela franquia Donkey Kong, dentro do quadro Secret Hoard. Hoje, faremos uma visita nas ruínas de Monkey Mines, tudo devidamente explicado pelo nosso agente de viagens DK Vine, autor das informações. Sem mais enrolação, vamos lá.



No trecho litorâneo entre a densa selva de Kongo Jungle e as florestas de Vine Valley, encontra-se uma grande elevação rochosa, que foi batizada de Monkey Mines. O lado exterior é bem bonito, mas é apenas uma "casca": por dentro das montanhas há um imenso complexo de cavernas, que escondia uma grande jazida de um minério que se acreditava não existir mais. Por conta da descoberta, escavações se iniciaram no local, o que praticamente eliminou a prática de turismo; portanto, se você gosta desse tipo de aventura, aconselhamos a repensar sua escolha, pelo bem de sua saúde.

Para as escavações, foi criado um grande sistema de trilhos em todo o lado leste das minas: mais de doze carros de minério servem esse sistema, transportando o minério do interior das montanhas para a superfície. Boa parte deste minério raro foi usado na construção da metrópole de Big Ape City, uma vez considerada o centro de entretenimento da Donkey Kong Island, mas abandonada em favor da proteção ambiental.

E por falar em proteção ambiental, existe vida em Monkey Mines. Os principais habitantes são os Squeeklies, uma espécie de morcego que vive nas cavernas da região, conhecidos por serem capazes de usar poderosas ondas sonoras como forma de proteção de seu habitat natural. O pior erro de quem insiste em visitar a área é acordar os Squeeklies, principalmente a mãe de todos os morcegos: se não tiver uma boa rota de fuga pré-planejada, é certo que fará companhia para os morcegos por toda a eternidade. Os Kongs aprenderam isso da pior maneira, durante a invasão da Tiki Tak Tribe, em 2010.

Durante as escavações, foi descoberto um templo do antigo Império Kremlantis. Parcialmente encravado nas rochas, o templo trouxe de volta o turismo, mas apenas na parte oeste da região, não afetada pela exploração de minério. Após a explosão e consequente destruição da Crocodile Isle, este templo passou a ser uma dos últimos vestígios dos Kremlantis, o que aumentou ainda mais o interesse para visitação. Com isso, Funky teve que aumentar os negócios, passando a operar voos regulares para a região.

Nossa próxima parada será a área florestal de Vine Valley. Preparem seus repelentes de insetos, e até a próxima semana.

Comentários
0 Comentários

0 comentários: