domingo, 29 de novembro de 2015

[CURIOSIDADES] Designer da RARE revela detalhes da criação de Donkey Kong Country 2

Donkey Kong Country 2: Diddy's Kong Quest é um dos maiores clássicos da história dos videogames. O título, lançado para o saudoso Super Nintendo em 1995, e que completou 20 anos recentemente, é considerado por muitos - incluindo este que vos fala - como um dos melhores jogos da era 16-bits, graças a sua jogabilidade fácil e intuitiva, além de sua magnifica trilha sonora, também considerada a melhor da chamada quarta geração de videogames. Designer da RARE e um dos criadores desta fantástica aventura, Gregg Mayles aproveitou a data para divulgar uma série de curiosidades que envolvem a criação de DKC2, como a escolha para o nome do título, e os atributos de Diddiane, que veio a se tornar a amada símia Dixie.

No documento abaixo, Mayles detalha as habilidades de Diddiane. A maioria delas entrou na versão final do jogo, mas um ataque exclusivo com seus longos cabelos ficou de fora:

Já a lista abaixo traz as muitas opções de nomes para o jogo. Se dependesse de Mayles, a segunda aventura da família Kong se chamaria Mighty Morphin' Power Diddy:

Este interessante desenho mostra a versão beta da Krocodile Isle, onde já se pode notar as várias regiões que Diddy e Dixie tiveram que atravessar. A arte também mostra a Donkey Kong Island, palco das ações do primeiro jogo:

As imagens a seguir mostram alguns detalhes da jogabilidade de DKC2. Uma boia e uma espécie de "barril-balão" seriam usadas como transporte em algumas fases:


O rascunho abaixo traz a ideia de uma história para o jogo, que não foi incluída na versão para SNES; porém entrou na versão para Game Boy Advance. Originalmente, Diddiane seria sequestrada junto com Donkey Kong:

A imagem abaixo é o único registro fotográfico da criação de DKC2, através de um software desenvolvido por Chris Stamper, também criador do jogo:

As imagens a seguir trazem rascunhos da criação das fases Bramble Scramble (4-3), Rickety Race (4-4), Rambi Rumble (4-6), Web Woods (5-6), Toxic Tower (6-7) e Animal Antics (8-5):








A arte a seguir traz o conceito do Cranky's Mobile Museum, onde o patriarca da família Kong exibia sua coleção de antiguidades. O local foi renomeado para Monkey Museum na versão final:

A estreia dos banana-birds poderia ter ocorrido em DKC2, assim como a aparição de vários outros animais com formato de bananas:

As imagens abaixo mostram os rascunhos das batalhas contra alguns dos chefes do jogo, como Kleever, King Zing, Kudgel (identificado como Klubba) e Kaptain K. Rool:




Mayles escreveu os mais variados e irônicos diálogos de Cranky Kong:

Abaixo, alguns membros da tripulação Kremling. Note que há um inimigo identificado como Klunk, possivelmente substituído pelo invocado Kutlass na versão final:

Cranky seria jogável em DKC2, mas teve que esperar quase 20 anos para voltar à ação, em DKC Tropical Freeze. Entre outras ideias que ficaram de fora, seu museu revelaria um cheat code do jogo Killer Instinct:

O que acharam desta série de curiosidades revelada por Gregg Mayles?


Via Reino do Cogumelo.

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Andreia disse...

Eu gostei mais do primeiro título, mas toda a série é fantástica.

Emerson Gonçalves disse...

O game é ótimo, porém seria muito melhor se no Lost world pudesse jogar com o DK.