domingo, 15 de maio de 2016

[CURTAS] Nintendo vence mais um processo de patente envolvendo o Wiimote

Um dos consoles mais inovadores de todos os tempos, o Wii revolucinou o modo de se jogar videogame, graças ao seu intuitivo controle por sensor de movimento, o Wiimote. O console é o maior sucesso da Nintendo, com vendas superiores a espantosa marca de 100 milhões de unidades em todo o mundo. Com tamanha visibilidade, sempre há aqueles que tentam tirar proveito do sucesso alheio, mas nem sempre conseguem. É o caso da Motion Games, LLC, que entrou com processo contra a Nintendo, acusando a Big N de violar uma patente de detecção de movimentos usada no Wiimote.

Porém, diferente de outras disputas judiciais, esta foi mais longa e desgastante, mas o resultado foi favorável à Nintendo. Após o resultado, o diretor de litígio e conformidade da Nintendo of America, Ajay Singh, divulgou uma nota onde criticou os constantes apelos da Motion Games durante o processo:
A patente da Motion Games descreve câmeras e sistemas que servem para rastrear componentes referentes à linhas de montagem, como peças de carro. A Motion Games afirmou que o Wii Remote infringiu esta patente de produção. Durante o litígio, a Nintendo conseguiu superar numerosas demandas de descobertas desnecessariamente onerosas da Motion Games, incluindo demandas de interrogar executivos do alto escalão.

"Estamos muito satisfeitos com a confirmação da corte de que a patente da Motion Games é inválida e nunca deveria ter sido concedida. Táticas de litígio não podem salvar uma patente inválida, e tentativas deste tipo apenas salientam a necessidade de reforma no sistema de patentes que reduza gastos desnecessários com defensores. A Nintendo tem uma longa história no desenvolvimento de produtos inovadores, e continuará a defender vigorosamente estes produtos de processos de patente."

Esta não foi a primeira vitória da Nintendo em casos semelhantes neste ano. No final de abril, a empresa venceu uma disputa contra um ex-funcionário da Sony em relação à tecnologia de efeito 3D utilizada nos portáteis da família 3DS. O imbróglio vinha se arrastando desde o final de 2014, quando a Nintendo recorreu da decisão, anteriormente favorável a Seijiro Tomita, que alegava que a tecnologia que gera efeitos 3D sem o uso de óculos especiais era de sua autoria, e que a Nintendo a teria usado sem permissão.


Via Reino do Cogumelo.

Comentários
0 Comentários

0 comentários: